The Best Chef Awards coloca José Avillez na lista dos 100 melhores chefs

The Best Chef Awards coloca José Avillez na lista dos 100 melhores chefs
O Turismo.pt

Best Chef Awards integra José Avillez na 70ª posição na lista dos 100 melhores chefs do mundo.



José Avillez foi cotado na 70.ª posição na lista dos 100 melhores chefs do mundo, cujo primeiro lugar foi atribuído ao dinamarquês René Redzepi (do Noma, Copenhaga, 2-estrelas Michelin), anunciou  a organização dos The Best Chef Awards.

Avillez, chef do ‘Belcanto’, 2-estrelas Michelin, em Lisboa, e de cerca de uma dezena de outros restaurantes em Portugal e no Dubai, ficou no lugar seguinte ao do austríaco Hans Neuner (do restaurante Ocean, 2-estrelas Michelin, em Porches, Algarve).

O português Henrique Sá Pessoa (do restaurante Alma, Lisboa, 2-estrelas), estava nomeado, mas não integrou a lista final.

O título de Melhor Cozinheiro foi atribuído ao dinamarquês René Redzepi, seguido de Björn Frantzén (do restaurante Frantzén, em Estocolmo, com 3-estrelas), que foi o vencedor da edição de 2019.

Em terceiro lugar ficou o norte-americano Dan Barber (do Blue Hill at Stone Barns, em Tarrytown, 2-estrelas, e do Blue Hill, em Nova Iorque, 1-estrela).

Também com restaurantes em Portugal, os espanhóis Martin Berasategui (do Fifty Seconds, Lisboa, 1-estrela) e Eneko Atxa (Eneko Lisboa) ficaram, respetivamente, em 37.º e 17.º lugares.

A edição deste ano foi realizada em formato virtual, com a organização a divulgar os distinguidos ao longo do dia, através das redes sociais.

A distinção, criada pelo italiano Cristian Gadau e pela empresa TBC MediaCorp, pretende dar destaque ao cozinheiro em detrimento do restaurante, e a seleção dos nomeados parte de “parceiros independentes” da plataforma.

O prémio ‘Lenda’ foi atribuído ao francês Michel Bras, do restaurante Le Suquet, que conquistou 3-estrelas Michelin em 1999 e que saiu do guia, em 2018, a pedido do filho, Sébastien Bras.

O brasileiro Rafa Costa e Silva (do Lasai, no Rio de Janeiro, 1-estrela), venceu o prémio ‘Followers’ (‘Seguidores’ nas redes sociais), enquanto a conterrânea Manu Bufarra (do Manu, em Curitiba) recebeu a distinção ‘Rising Star’ (‘estrela em ascensão’).

O prémio relativo à Ciência, destinado ao cozinheiro que se destaque na investigação, técnicas experimentais e transformação, foi para o chef Rasmus Munk (do Alchemist, em Copenhaga, 2-estrelas).

A votação coube aos cozinheiros do ranking do ano passado e aos novos candidatos deste ano, somando-se ainda os votos de “uma seleção de profissionais culinários, fotógrafos e amantes da cozinha”.
Fonte Lusa

 

Votação Pública Festival ART&TUR

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade