"Birdman" ganha e "Boyhood" é o grande derrotado

"Birdman" ganhou o oscar de melhor filme, melhor realizador e melhor argumento e "Boyhood" foi o grande derrotado com somente o oscar de melhor actriz secundária para Patrícia Arquette.

 

Com a boa disposição e o "savoir faire" de Neil Patrick Harris, a noite dos Oscares decorreu sem grandes surpresas, com os prémios a serem distribuídos pelos filmes nomeados, mas com um a ficar esquecido: "Boyhood".


A noite ficou marcada por dois momentos que recordaram dois episódios acontecidos há cinquenta anos: a marcha de Martin Luther King, recordada no filme "Selma", com o oscar da melhor melodia, "Glory", e "The Sound of Music" que trouxe ao palco do Dolby Theatre uma excelente interpretação de Lady Gaga de uma miscelânea de temas desse filme.


Outro momento de emoção foi o desfilar de homens e mulheres do cinema que partiram no ano que passou como Robin Williams, Lauren Bacall, Virna Lisi, Louis Jourdain, Anita Ekberg e muitos outros.

A presidente da Academia de Cinema na sua intervenção lembrou a importância do cinema como contador de estórias e da defesa da liberdade de expressão.

J.K. Simmons ganhou o oscar de melhor actor secundário pelo seu desempenho em "Whiplash" e Patricia Arquette foi considerada a melhor actriz secundária pelo seu trabalho em "Boyhood".

Julianne Moore foi a melhor actriz pelo filme "O meu nome é Alice" e Eddie Redmayne arrecadou o oscar de melhor actor pelo seu excelente desempenho em "A Teoria de Tudo".

"Grand Budapest Hotel" um dos favoritos ficou-se pelos prémios ligados aos aspectos técnicos, e o "Sniper Americano", de Clint Eastwood que já fez milhões em bilheteira, ficou-se pela melhor montagem de som.
"Ida" um filme polaco, com fotografia a preto e branco, levou o oscar de Melhor filme estrangeiro.

Justos ou injustos estão atribuídos os oscares de 2015.

Mídia

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade