Ryanair pode deixar de voar para os Açores devido à subida das taxas da ANA Aeroportos

por: António Manuel Teixeira
Ryanair pode deixar de voar para os Açores devido à subida das taxas da ANA Aeroportos
Ryanair

A companhia aérea low cost queixa-se do aumento das taxas aeroportuárias nos aeroportos de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, Açores e no da Madeira, culpando a ANA – Aeroportos de Portugal pelo aumento dos valores.

A Ryanair apelou, mais uma vez, Governo de Portugal ao Governo para que intervenha e tome medidas “urgentemente” contra o aumento de taxas, revelou em comunicado divulgado esta quarta-feira,

Segundo a Companhia a gestora dos aeroportos nacionais procedeu a um “aumento excessivo” na taxa cobrada por passageiro, subindo 26% nos aeroportos da Madeira e Ponta Delgada, contando ainda com uma sobretaxa de segurança.

No comunicado, a transportadora, alerta: “O futuro do turismo de Ponta Delgada está em risco pelos aumentos exorbitantes de preços da ANA. Os já excessivos aumentos de tarifas nos aeroportos de Ponta Delgada e Madeira são exacerbados pelo facto de o governo português continuar a permitir que a ANA cobre a mais 96% pela segurança dos passageiros”.

Segundo Eddie Wilson, CEO da Ryanair, “o aumento das taxas aeroportuárias tem um impacto significativo nos aeroportos regionais, colocando em risco o crescimento – especialmente para duas economias insulares completamente dependentes do turismo”.

De acordo com o gestor, a “Ryanair está em melhor posição para fornecer a capacidade, o tráfego e o investimento necessários para impulsionar a recuperação pós-Covid dos Açores e fornecer conectividade, escolha e tarifas de baixo custo para cidadãos/visitantes açorianos, no entanto, o governo deve agir agora e introduzir custos de acesso mais baixos”.

A empresa considera ainda que o Governo “falhou” na protecção às regiões ultra periféricas dos Açores e Madeira no que diz respeito ao novo regime comunitário de licenças de emissão de gases com efeito estufa da União Europeia, denominado sistema ETS, “o que significa que as tarifas aumentarão até 10 euros adicionais por passageiro”. 

A companhia aérea pede, por isso, que o executivo de António Costa elimine os aumentos de taxas decretados e que implemente taxas de segurança mais baixas, revertendo ainda a inclusão das regiões ultra periféricas no regime ETS, para todas as companhias aéreas que voam dos Açores.

Wilson defende ainda: “A Ryanair apela ao governo português para proteger a conectividade, o emprego e o turismo receptivo dos Açores, revertendo o aumento de preços de 26% da ANA e reduzindo imediatamente as taxas de segurança dos passageiros, que já foram aprovadas pelo regulador meses atrás”.

Importante relembrar que, nos últimos meses, várias notícias têm vindo a dar conta de que a Ryanair poderá deixar de voar para os Açores já próximo horário de Inverno IATA (Outubro), devido ao aumento das taxas, pelo que têm vindo a decorrer negociações entre a companhia aérea e o Governo Regional.

RIU Hotels & Resorts

Amsterdam City Card

Etihad Airways

Actualidade