TAP regista prejuízo de 54 milhões de euros

O ministro das infraestructuras afirmou hoje no parlamento que o plano para a reestruturação da TAP prevê um grande prejuízo de 54 milhões de euros este ano e lucros apenas em 2025.

Pedro Nuno Santos, foi ouvido na comissão parlamentar conjunta de Orçamento e Finanças e Economia, Obras Públicas, Planeamento e Habitação, e afirmou em reposta ao deputado social-democrata Paulo Rios de Oliveira, que “o que está previsto [para a TAP] é que haja um prejuízo em 2022 de 54 milhões de euros”.

O ministro continuou o seu discurso, falando sobre a previsão e como espera que ela se mantenha, reforçando que apesar de ser boa podia ser ainda melhor.

Acrescentou que “Está previsto 54 milhões de euros, tal como está previsto em 2023 a TAP atingir o equilíbrio operacional e em 2025 ter lucro”

Em relação aos prejuízos de 1,600 mil milhões de euros registados em 2021, Pedro Nuno Santos mencionou os mais de mil milhões que resultaram do fecho da empresa de manutenção no Brasil. Esse dinheiro “deu prejuízo consecutivo e cumulativo durante 16 anos”, “uma sangria” que “nem o público nem o privado tiveram coragem de fechar”.

O ministro negou quaisquer críticas direccionadas à TAP em relação à retenção de slots não usados no aeroporto Humberto Delgado em prejuízo de outras companhias e do mercado nacional.

Na sua resposta ao deputado da Iniciativa Liberal Carlos Guimarães Pinto, o ministro diz que “As companhias aéreas não açambarcam slots. Os slots cumprem regras internacionais muito estritas; Se uma companhia aérea não voa uma determinada rota, ela perde esse slot”, acrescentou.

O ministro das Infraestruturas reiterou ainda que “a TAP só é viável integrada num grande grupo de aviação”.

QATAR turismo

RIU Hotels & Resorts

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade