Aumento do número de casos de Covid-19 forçam as restrições de viagem a serem mantidas

Aumento do número de casos de Covid-19 forçam as restrições de viagem a serem mantidas
Diário de Notícias

Um em cada cinco destinos mantém as suas fronteiras completamente fechadas o que afeta o reinício do turismo internacional. A última pesquisa mostra que 98% dos destinos ainda impõem algum tipo de restrição de viagem.

De acordo com o relatório da OMT (Organização Mundial do Turismo) relativo a restrições de viagens, 46 destinos (21% de todos os destinos no mundo) estão, actualmente, com as suas fronteiras totalmente fechadas aos turistas. 

Deste total, 26 destinos mantiveram-se totalmente fechados pelo menos desde o final de Abril de 2020. Outros 55 (25% de todos os destinos mundiais) têm as suas fronteiras parcialmente fechadas para o turismo internacional, e 112 destinos (52% de todos os destinos) exigem aos turistas internacionais a apresentação de um teste PCR ou teste antigénio negativo na chegada.

A pesquisa também mostra como os destinos abrem passagem aos turistas internacionais vacinados: 85 destinos (39% de todos os destinos no mundo) abrandaram as restrições para turistas internacionais totalmente vacinados, enquanto 20 destinos (9% de todos os destinos do mundo) completaram a vacinação contra a COVID-19, sendo-lhes assim possível entrar num destino para fins turísticos. No entanto, apenas quatro destinos levantaram até agora todas as restrições relacionadas à pandemia - Colômbia, Costa Rica, República Dominicana e México.

O secretário-geral da OMT, Zurab Pololikashvili, afirma: "Relativar ou suspender as medidas com segurança é essencial para que o turismo seja retomado e os benefícios sociais e económicos oferecidos pelo sector recuperem.”

Como aferido em edições anteriores no relatório da OMT, ainda existem diferenças regionais em relação às restrições de viagens: a Ásia continua a ser o continente com mais restrições em vigor, com 65% dos destinos totalmente fechados. Em comparação, a Europa é a região do mundo mais aberta aos turistas internacionais (7% das fronteiras totalmente fechadas), seguida pela África (9%), América (10%) e o Médio Oriente (15%).

Os desafios contínuos colocados pela pandemia ressaltam a importância das autoridades nacionais de garantirem que os procedimentos e requisitos de migração possam ser gerenciados de maneira oportuna, confiável e consistente em todos os sistemas e plataformas de informação, para manter a confiança e facilitar ainda mais a mobilidade internacional.

RIU Hotels & Resorts

#EstamosON

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade