IATA apela por medidas concretas e práticas no combate à Covid-19

IATA apela por medidas concretas e práticas no combate à Covid-19
TVI24

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) apelou aos governos para que adoptassem medidas simples, previsíveis e práticas para facilitar de forma segura e eficiente a intensificação das viagens internacionais à medida que as fronteiras se reabrem.

Especificamente, a IATA pediu aos governos para se concentrarem-se em três áreas-chave:

  • Protocolos sanitários simplificados;
  • Soluções digitais para processar as credenciais de saúde;
  • Medidas proporcionais aos níveis de risco da COVID-19, com um processo de revisão contínua.

Surge, assim, “O Projecto em Acção” que visa facilitar o aumento da eficiência da conectividade global. "Devemos ter processos em vigor para gerir de forma segura e eficiente o aumento das viagens internacionais, à medida que as fronteiras forem reabertas. Com mais de 18 meses de experiência operacional pandémica e com o feedback do viajante, sabemos que é essencial um projecto centrado na simplicidade, previsibilidade e praticabilidade” afirma Clifford, reforçando ainda que “Mais de 100.000 medidas relacionadas com a COVID-19 foram implementadas por governos de todo o mundo. Esta complexidade é uma barreira à mobilidade global que é exacerbada pelas inconsistências que estas medidas têm criado entre os Estados".

Posto isto, é necessário implementar protocolos de saúde simplificados. As principais recomendações incluem: eliminar todas as barreiras de viagem (incluindo quarentena e testes) para os que estão totalmente vacinados com uma vacina aprovada pela Organização Mundial de Saúde e permitir viagens sem quarentena para os viajantes não vacinados, com um resultado negativo num teste antigénio, antes da partida.

Estas recomendações foram apoiadas por investigações de opinião pública de viajantes que revelaram que 80% acredita que as pessoas vacinadas devem poder viajar livremente; 81% acredita que os testes antes da viagem são uma alternativa aceitável à vacinação e 73% acredita que a quarentena não é necessária para os viajantes vacinados.

Associada a estas, a gestão das credenciais de saúde de viagem (certificados de vacinação ou testes) deve ser tratada digitalmente e deverá ser possível completar o processo com antecedência, para que os viajantes possam chegar ao aeroporto prontos a viajar. Isto facilitará os processos automatizados de check-in, reduzindo as filas e os tempos de espera no aeroporto.

O Certificado Europeu de Covid Digital é amplamente aceite e uma boa prática reconhecida, com 22 Estados não pertencentes à União Europeia a terem actualmente acordos de equivalência com o certificado - um portal web digital através do qual os passageiros podem apresentar as suas credenciais de saúde de viagem directamente aos respectivos governos para verificação.

Uma outra solução a ser implementada é a IATA Travel Pass que pode integrar soluções governamentais para ajudar na recolha e verificação de dados.

Estas recomendações são apoiadas por pesquisas da opinião pública de viajantes que revelaram que 88% apoiam certificados de vacinação e testes padronizados; 87% partilhará dados pessoais de saúde através de uma aplicação, caso poupe tempo de processamento e 73% consideraram um verdadeiro desafio (aqueles que viajaram desde Junho de 2020) compreender as regras e a papelada aplicável à sua viagem.

"As viagens são importantes. Antes da pandemia, cerca de 88 milhões de meios de subsistência estavam directamente ligados à aviação. E a incapacidade de viajar livremente por via aérea teve impacto na qualidade de vida de milhares de milhões de pessoas.”

“Sabemos que os viajantes se sentem confiantes com a implementação das medidas de segurança da COVID-19. Mas disseram-nos claramente que a actual experiência de viagem precisa de melhorar com melhor informação, processamento mais simples e soluções digitais”, afirmou Clifford.

As medidas de contenção COVID-19 devem ser proporcionais aos níveis de risco, existindo sempre um processo de revisão contínua.

Segundo os viajantes 87% acreditam que os governos devem encontrar o equilíbrio certo na gestão da COVID-19 e permitir uma recuperação económica; 86% acreditam que as fronteiras devem ser progressivamente reabertas à medida que a cobertura da vacina e a capacidade de teste aumentem e 62% acreditam que a exigência do uso de máscara deve ser retirada o mais rapidamente possível.

RIU Hotels & Resorts

#EstamosON

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade