11 de Setembro 2001, vinte anos depois

Passaram-se 20 anos do dia 11 de Setembro de 2001, duas décadas depois do maior ataque terrorista da História, há imagens que não se esquecem



O desespero que levou muitos a saltar o medo daqueles que conseguiram fugir, o cansaço dos que deram tudo para salvar vidas e o sofrimento de quem assistiu a uma tragédia até então quase impossível de imaginar paralisou o mundo

Os ataques em solo norte-americano - às Torres Gémeas e ao Pentágono - fizeram, no total, quase três mil vítimas mortais. Mas a questão mantém-se em suspenso, porquê?

A IATA assinala esta data escrevendo um memorando onde lembra “Never Forget”. É realmente para não esquecer

Há cerca de duas décadas, quatro aviões comerciais foram sequestrados por terroristas da Al-Qaeda. Dois colidiram intencionalmente contra as Torres Gémeas do World Trade Center, que ruíram duas horas após o violento impacto. E o mundo assistia impotente

O terceiro avião de passageiros colidiu contra o Pentágono, a sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, no Condado de Arlington, Virgínia, nos arredores de Washington.

O quarto avião caiu num campo aberto próximo na Pensilvânia, depois de alguns passageiros e tripulantes terem tentado retomar o controle do aparelho. Os sequestradores tinham reencaminhado o voo para a capital norte-americana e acredita-se que planeavam fazer a aeronave colidir com o Capitólio.


Não houve sobreviventes em qualquer dos voos. No total, morreram quase 3.000 pessoas no 11 de Setembro e o mundo nunca mais foi o mesmo.
O mundo mudou a aviação civil sofreu um impacto negativo e segundo a IATA nunca mais nada foi igual.


Actualmente recuperamos de uma pandemia que atinge todo o mundo mas as imagens das Torres Gémas a arder com milhares de pessoas a tentarem sai pelas janelas dos andares mais altos dos edifícios jamais serão esquecidas

RIU Hotels & Resorts

#EstamosON

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade