Latam apresenta estratégia de sustentabilidade até 2050

Latam apresenta estratégia de sustentabilidade até 2050
Divulgação

O Grupo Latam apresentou a sua estratégia de sustentabilidade com a qual pretende atingir a neutralidade de resíduos até 2027 e  de emissão de carbono até 2050.



Foi a 05 de Maio que o grupo Latam a presentou o seu programa de estabilidade com o qual pretende chegar à neutralidade de resíduos em 2027 e da emissão de carbono em 2050.
Trata-se de um programa em parceria com a The Nature Conservancy (TNC) que tem como objectivo “planear ações de conservação e reflorestamento de ecossistemas icónicos na América do Sul”.

Roberto Alvo, CEO do Grupo LATAM Airlines, afirma “Estamos a enfrentar um momento crítico da história da humanidade, com uma grave crise climática e uma pandemia que mudou a nossa sociedade”.

Continuando :”Hoje, não basta fazer o que sempre foi feito. Como grupo, temos a responsabilidade de ir mais longe na procura de soluções colectivas. E a terminar Roberto Alvo acrescenta: “Queremos ser um actor ativo que promova o desenvolvimento social, ambiental e económico do continente e, por isso, estamos a assumir um compromisso que visa contribuir para a conservação dos ecossistemas e o bem-estar das comunidades da América do Sul”.

Lê-se num comunicado enviado à imprensa pela Latam, que a estratégia de sustentabilidade será válida para os próximos 30 anos integrando quatro pilares, a saber “gestão ambiental, mudanças climáticas, economia circular e valor partilhado, linhas de ação” informando ainda que  “foram elaboradas de forma colaborativa com especialistas e organizações ambientais de todo o continente e implicam um investimento de cerca de US$ 100 milhões em 10 anos”.

Deste modo e numa primeira fase, o Grupo LATAM vai apoiar ações de conservação e reflorestamento de ecossistemas na  América do Sul, em parceria com a  The Nature Conservancy (TNC).

Quanto às alterações climáticas, o grupo vai também “trabalhar para reduzir as suas emissões através da incorporação de combustíveis sustentáveis ​​e novas tecnologias na aviação”, eventualmente já disponíveis em 2035, e compensando deste modo 50% das emissões domésticas até 2030, “com base no desenvolvimento de um portfólio de projectos de conservação e outras iniciativas”.

“A ação incluirá ecossistemas únicos da América do Sul, como a Amazónia, o Chaco, as planícies do Orinoco, a Mata Atlântica e o Cerrado, entre outros”, indica a informação divulgada.

Paralelamente, o Grupo LATAM vai também lançar um programa para oferecer aos passageiros, clientes corporativos e de carga a opção de compensar as emissões de CO2 relativas às suas viagens, comprometendo-se ainda a compensar “mesma quantidade de emissões de CO2 que os clientes com um programa 1 + 1”.

Na economia circular, o grupo LATAM está ainda empenhado em “promover uma cultura de eliminação, redução, reutilização e reciclagem em toda a operação para chegar a 2027 como um grupo que gera zero resíduos para aterro”, motivo pelo qual vai eliminar todos os plásticos de uso único até 2023, expandir o programa de reciclagem a bordo a todas as rotas domésticas e tornar as salas VIP “100% sustentáveis”. 
Será também implementado “um programa de reciclagem de uniformes em todos os países e um plano para substituir os materiais a bordo por itens compostáveis, recicláveis ​​ou certificados”.

Mas, o grupo vai aumentar a “capacidade de transporte de pessoas e cargas para programas de saúde e de cuidado com o meio ambiente”, assim como em desastres naturais, a exemplo do programa Avião Solidário, enquanto na gestão ambiental, vai ser criado “um sistema transparente e auditável, que permitirá levar em consideração as variáveis ​​ambientais de todos os processos e operações do grupo”.

RIU Hotels & Resorts

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade