KLM com problemas por não viajar para vários países de África, América

KLM com problemas por não viajar para vários países de África, América
Divulgação

O problema é que a KLM não opera para muitos de esses “países seguros” como são a Australia, Nova Zelandia e Ruanda.



Todos os voos de passageiros entre o Reino Unido, África do Sul e toda a América do Sul foram cancelados este sábado na Holanda.

A KLM é o principal operador desses voos enfrenta assim uma crise ainda mais grave do que já vinha acontecendo
No caso britânico, o cancelamento de todos os voos é tanto mais grave uma vez que a KLM é a única companhia aérea que voava praticamente todos os dias para os aeroportos regionais da Grã Bretanha de forma a movimentar o hub de Schipol.

Na Holanda, o governo em funções tem medo da difusão das novas variantes do vírus, que estão presentes em todo o pais.
As novas medidas que não resultam sequer de um acordo com todos os países europeus, nem sequer com a Belgica com quem a Holada negoceia este tipo de politicas, dão resposta uma intento de travar a propagação do corona vírus especialmente das várias variantes. Os viajantes que venham de outras áreas de risco elevado devem apresentar um registo negativo numa prova rápida.
Deve ser realizada a menos de quatro horas antes da saída, para além da já exigida prova conhecida como PCR.

Esta medida não se aplica aos viajantes das Antilhas nem de vários países seguros.
Certos grupos de viajantes de fora da União Europeia não podem entrar no país  de momento.
Por exemplo, os viajantes de negócios, os estudantes, os imigrantes altamente qualificados, as pessoas do sector cultural e as pessoas com um familiar nos Paises Baixos não podem viajar.
Entretanto a companhia aérea KLM procura uma solução para o problema de provas rápidas do seu pessoal que também será submetido às mesmas.
A KLM afirma que é muito problemático um voo de longa duração com um tripulante positivo porque obrigaria a deixar o avião num lugar longe, ou enviar outro para recolher todos os que estão dentro do avião.
A situação criaria um “imenso quebra cabeças logístico.”

Se a prova rapida obrigatória antes da saída dos Paises Baixos também se aplica ao pessoal da KLM, é quase impossível que os voos continuem.
Os voos de longo curso a partir de sábado poderão sofrer alterações.
O problema adicional é que a KILM não opera em muitos desses países seguros como são a Australia, a Nova Zelandia e Ruanda e só para países como a China, Tailândia e Coreia do Sul. É no entanto incerto que a KLM continue a voar para ali.

RIU Hotels & Resorts

FITUR 2021

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade