Luz ao fundo do túnel para um Aeroporto em Monte Real

Luz ao fundo do túnel para um Aeroporto em Monte Real
Divulgação

O ministro da Defesa está de acordo que se deve realizar um estudo para aferir da necessidade para o país de criar mais um aeroporto no centro, admitindo ser possível abrir a base de Monte Real à aviação civil.

João Gomes Cravinho, à margem de uma mesa redonda sobre a "Economia de Defesa para o Futuro", afirmou ser "preciso assegurar o funcionamento da estrutura militar que é fundamental para o nosso país e para a NATO. As pessoas não têm noção, mas a defesa portuguesa é assegurada 24 horas por dia por aeronaves em Monte Real [em Leiria]. Isso é fundamental manter, mas não é impeditivo da possibilidade de haver aviões civis a aterrarem e a levantarem voo" no mesmo espaço.

O ministro defende, porém, que esta matéria "precisa de ser acompanhada por um estudo" daquilo que se pretende para o país "em matérias de estruturas aeroportuárias no plano nacional". E acrescentou que "faz sentido pensando nacionalmente haver aqui uma estrutura aeroportuária? Vamos retomar um processo que já esteve em curso e que entretanto foi interrompido pelas eleições de e depois pela pandemia".

O responsável da pasta da Defesa referiu que deve existir um estudo entre o Ministério da Defesa e o Ministério das Infraestruturas e da Habitação "para olhar para aquilo que é possível para Monte Real" e, "em paralelo, deve haver um estudo sobre para que serviria, qual o investimento e como se vai buscar o financiamento".

Sobre a possibilidade de abrir a Base Aérea n.º 5, em Monte Real, se existir um privado, que seja economicamente sustentável, o governante sublinhou que a "perspectiva da Defesa não tem a ver com o sucesso do projecto".

"A perspectiva é assegurar o bom funcionamento da base militar. Se o é economicamente viável isso já é desde logo para o financeiro, mas também para o Ministério das Infraestruturas. A nossa preocupação é assegurar a viabilidade permanente da base aérea", reforçou.

Desde que essa viabilidade "entre as utilizações esteja garantida", o ministro considera que "está assegurada a condição" do uso do espaço para a aviação civil. Além disso, o recorda que a BA5 "já foi utilizada no passado para receber aviões civis", pelo que admitiu que pode suceder o mesmo no futuro. O exemplo mais mediático foi no nas Cerimónias do Centenário do Santuário de Fátima em que o Papa aterrou e descolou de Monte Real.

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade