easyJet e Airbus trabalham, em parceria, na melhoria do ambiente

easyJet e Airbus trabalham, em parceria, na melhoria do ambiente
Divulgação

A easyJet dá as boas-vindas ao lançamento do seu parceiro Airbus, revelando três novos conceitos de aviões comerciais movidos a hidrogénio e com emissão zero, cujo primeiro pode ser lançado já em 2035.

Em 2019, a easyJet e a Airbus anunciaram um protejo de pesquisa conjunto sobre aviões híbridos e eléctricos para aprofundar a conhecimento sobre a operacionalidade e procura oportunidades e desafios nas infraestruturas da próxima geração de aviões. O trabalho continua com o fabricante em três frentes para definir os impactos e requisitos necessários para a introdução em larga escala de aparelhos sustentáveis ​​de próxima geração nas infraestruturas e nas operações.

Johan Lundgren, CEO da easyJet comentou, num comunicado enviado ás redacções, que a Companhia “continua absolutamente comprometida com um serviço mais sustentável. Estamos disponíveis para colaborar no desenvolvimento destas novas tecnologias, com o objectivo de sermos os primeiros a adoptá-las quando chegarem ao mercado".

O CEO salientou que “os avanços tecnológicos, que continuam a surgir apesar da pandemia e do imenso impacto que teve na indústria, são prova da inovação e do impulso deste sector".

No entanto refere que “a confiança no poder de tecnologias disruptivas como a eléctrica e o hidrogénio para reinventar a aviação está a ser estimulado e isso promete ser particularmente interessante para companhias aéreas como a easyJet, com um sector médio de 1.100 km". Em que com “este tipo de mudança tecnológica, que é absolutamente crucial, e a easyJet está a apoiar o seu desenvolvimento”.

Vários estudos recentes têm mostrado como a combustão de hidrogénio e a tecnologia movida a célula de combustível de hidrogénio podem desempenhar um papel significativo no futuro mix de tecnologia de propulsão de aviação. Anúncios recentes de políticas têm apoiado o aumento da produção de hidrogénio na próxima década - tanto no Reino Unido quanto na União Europeia - para apoiar sectores em que é mais difícil descarbonizar, como a aviação.

Desde Novembro do ano passado, a transportadora é a primeira no mundo a realizar voos com um impacto líquido de emissões de carbono zero, em toda a sua rede. Pretendendo alcançar esse objectivo, compensando as emissões de carbono do combustível utilizado em todos os seus voos.

Entretanto, a easyJet "continua focada em operar aviões mais eficientes, com baixo consumo de combustível". Desde 2000 "já reduziu as emissões de carbono por cada quilómetro percorrido por passageiro em mais de 33.67%", tendo como meta "atingir uma redução de 38% até 2022", referiu a Companhia em comunicado.

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade