Covid19 origina despedimento em massa nas companhias aéreas

Covid19 origina despedimento em massa nas companhias aéreas
euronews

Devido às restrições de viagens e queda da procura, as Companhias aéreas entraram num processo de despedimentos numa tentativa de redução de custos.

 

O grupo da British Airways poderá ter de cortar até 12 mil postos de trabalho se tiver de pôr em prática “medidas de reestruturação radicais” que têm como objectivo de ultrapassar a crise.


Icelandair fez uma redução de dois mil trabalhadores.

A escandinava SAS irá colocar em lay-off até cinco mil trabalhadores, “ou seja, 40% da mão-de-obra total”.

Rickard Gustafson, director executivo da companhia, considera que o mais importante, pensando nas novas regras que poderão afastar os passageiros, “é encontrar uma norma global comum”.

Segundo Gustafson, as regras não podem ser diferentes de país para país porque “isso tornaria quase impossível a realização de viagens aéreas internacionais.


Por seu lado a EasyJet pensa não ocupar os lugares do meio do avião vazios.


A Associação Internacional de Transporte Aéreo alerta para o facto de estas práticas obrigarem ao aumento do preço dos bilhetes.

Alexandre de Juniac, director executivo da associação, diz que é impossível ter um avião a voar em boas condições económicas com tantos lugares neutralizados e que “há o risco do aumento do preço dos bilhetes em 50% a 100%”.


A Covid-19 acabou, temporariamente, com a procura de viagens. As companhias aéreas têm agora de reestruturar o funcionamento tendo em conta as consequências do fim dos confinamentos.

RIU Hotels & Resorts

FITUR 2021

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade