Coronavírus obriga a nova estratégia na gestão de hotéis e companhias aéreas

O impacto do coronavírus alarga todos os dias na medida em que se confirmam o número de casos e as mortes continuam e governos e companhias tomam medidas para controlar a epidemia.


Agora oficialmente denominado Covid-19 (Doença Corona Virus’19) pelas Organização Mundial de Saúde, o vírus já matou cerca de 1400 pessoas e infectou mais de 60mil, com 447 casos fora da China, dados fornecidos terça feira pela Organização Mundial de Saúde

E Myke Ryan, director executivo da WHO, afirma que é muito cedo para saber quando se poderá travar o surto.


Enquanto o impacto do coronavírus atravessa o mundo, o efeito começa a fazer-se sentir a nível da hotelaria e das companhias aéreas.


Embora inda não sejam conhecidos os últimos números é obvio que o impacto económico será significativo.

O mercado chinês é actualmente o maior da Ásia e um dos maiores a crescer em todo o mundo o que significa que as perdas serão bem maiores que as verificadas em 2003 com o SARS que a IATA calcula em seis biliões e outra entidade em 40 biliões.

A organização da Mobile World Congress cancelou o evento, uma vez que face às circunstâncias a realização da feira não era aconselhável.

O grupo Hilton já fechou cerca de 150 hoteis com 33,000 quartos em toda a China.

Também a companhia de cruzeiros, Royal Caribbean afirma que se a situação se mantiver o prejuízo será de grande monta.

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade