Aeroporto de Lisboa investe para receber avião que vai deixar de ser fabricado

Aeroporto de Lisboa irá investir 400 milhões para receber, em 2021 o A380, no ano em que o “superjumbo” deixará de ser fabricado

 

O A 380, “o maior avião alguma vez fabricado pelo Homem vai deixar de ser fabricado daqui a dois anos.”

Parece ser importante o acontecimento  uma vez que o Aeroporto Humberto Delgado irá ser objecto de obras no valor de 400 milhões para que seja possível receber este avião.

As obras estarão concluídas em 2021 ano que o A389 deixará de ser fabricado.


O investimento previsto para o Aeroporto Humberto Delgado, Lisboa para que o famoso A380 da Airbus possa aterrar no principal aeroporto nacional, a partir de 2021, e que poderá ascender aos 400 milhões de euros, tal como o Jornal Económico noticiou em Fevereiro de 2017, “poderá ser pouco proveitoso para Portugal, uma vez que os A380 deixarão de ser produzidos dentro de dois anos.”

O grupo europeu Airbus anunciou esta quinta-feira que vai deixar de fabricar o avião A380 em 2021, depois do seu principal cliente, a Emirates, ter alterado parte da sua encomenda pelos modelos A330-900 e A350-900.

A companhia, que, de acordo com as encomendas até agora deveria ter recebido um total de 162 A380, vai comprar apenas 123, tendo assinado um novo contrato com a Airbus para adquirir 40 A330-900 e 30 A350-900.


Desta forma, a Airbus fez saber que não existe “uma carteira de pedidos substancial do A380 e, portanto, não há base para apoiar a produção do A380, apesar de de todos os esforços de vendas” realizadas com outras companhias aéreas nos últimos anos. Terminando a produção Airbus A380 desparecem cerca de 3.500 postos de trabalho.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade