Até Março tudo foi bom, mas depois as desgraças foram aumentando. E em 2021?

O ano 2020 era esperado como extraordinário para o Turismo, assim como para a economia mundial. Mas após Março tudo mudou, mas para pior. Ou, até mesmo, muito pior.

 

Em 2019 o turismo nacional atingiu um nível de excelência, dando grandes rendimentos a todos os que trabalham no sector.

O trabalho que Ana Mendes Godinho, na altura secretária de Estado do Turismo, tinha deixado feito e que Rita Marques, actual secretária de Estado continuou, fez com que existisse muito investimento nacional e estrangeiro.

Dou como exemplo o Programa Revive, criado por Ana Mendes Godinho, para reabilitar património nacional degradado em estâncias hoteleiras com a reabilitação a cargo de quem ganhou o concurso.

Muitos hotéis abriram e muitos mais estavam para abrir em 2020, uma vez que Portugal é o Melhor Destino do Mundo, segundo os World Travel Awards, fazendo com que todos os meses o número de turistas aumentasse.

Devido à procura, descaracterizaram o típico bairro de Alfama, para criar Alojamento Local (AL). Por todo o país o AL nascia como cogumelos, pois todos queriam ganhar dinheiro com os turistas. Muitos empresários pediram empréstimos para comprar e reabilitar prédios inteiros, com o intuito de os arrendar a qualquer turista que visitasse Portugal.

Os Tuc Tuc, foram legalizados e tornaram-se uma praga nas principais cidades. O motivo é que não existia uma lei que estabelecesse as regras para o seu funcionamento.

Os aviões traziam diariamente milhares de turistas para Portugal Continental, Açores e Madeira. Muitas agências de viagens não tinham como responder a tantos pedidos para férias ou negócios.

 

Desde Março, tudo mudou

Não há viagens, não há turistas, não há investimento, mas sim muitas dividas e muito desemprego. O desespero, em todos os sectores económicos do país, é enorme. As soluções não são visíveis, nem mesmo ao fundo do túnel.

Hoje fazem-se conferência, feiras, e outros grandes eventos à distância. Ou seja tudo virtual e nada presencial, fazendo com que não seja necessário viajar, ficar alojado, fazer refeições, ou até mesmo comprar uma lembrança.

O coronavirus é o responsável por tudo isto, uma vez que a doença Covid 19 desenvolvida pelo mesmo, criou medo, pânico, mortes, desespero, falências, desemprego e muito mais.

Há dois dias, chegou a vacina, com o intuito de criar imunidade de grupo. Ou seja, que as pessoas não se contagiem umas às outras.

Mas isso não vai mudar nada em relação ao que se passou desde Março até agora, pois vai tudo continuar a piorar. O principal motor económico de Portugal, é o turismo. mas sem turistas não é possível criar riqueza. Não posso deixar de recordar que em 2019 e no início de 2020 andavam a discutir o novo aeroporto, curiosamente agora anseia-se que cheguem aviões com muitos passageiros à Portela. Falava-se em criar um aeroporto na base de Montreal, para servir a zona centro. Hoje pede-se para que existam turistas que impeçam a falência dos AL, Turismo Rural e Hotéis, da região.

O que se pode fazer para que isto mude? Pois, isso a resposta é desejada por milhões de pessoas. Mas ninguém sabe, como, o quê, de que forma ou através de quê se pode mudar esta grande catástrofe que atingiu o mundo inteiro.

Só podemos continuar a ter esperança e acreditar que vamos voltar ao ponto em que estávamos em 2019. Viver um dia de cada vez, com muita cautela, é o que vos sugiro para 2021.

RIU Hotels & Resorts

FITUR 2021

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade