Portugal ocupa o décimo lugar na lista de maior impacto económico da Airbnb

Portugal ocupa o décimo lugar na lista de maior impacto económico da Airbnb
Divulgação

Os utilizadores da plataforma de alojamentos Airbnb geraram em 2018 mais de 2.000 milhões de euros de impacto económico directo em Portugal e um valor global de 86.000 milhões a nível mundial.

 

Segundo um inquérito realizado pela plataforma de alojamento, juntos dos viajantes e anfitriões, e associado à análise de dados internos, a Airbnb gerou um impacto económico directo de 86 mil milhões € em 2018 a nível global, 2.000 milhões dos quais em Portugal.

Portugal foi o 10.º país com o maior impacto, numa lista de 30 países, encabeçada pelos Estados Unidos, França e Espanha.

Segundo um inquérito da Airbnb a mais de 5,5 mil contas de anfitriões e hóspedes em Portugal, 60% dos anfitriões portugueses na plataforma afirmam que partilhar o seu lar permitiu-lhes poder viver nas suas casas.

Em relação aos anfitriões portugueses na plataforma, 78% afirmam recomendar actividades culturais aos hóspedes - como a visita a museus, festivais ou locais históricos.

Os hóspedes que se alojam através da Airbnb em Portugal afirmam que uma média de 41% dos seus gastos são efectuados no bairro onde ficam alojados e que usar a plataforma teve um impacto na duração da sua estadia, alargando, em média, 5,1 dias a sua viagem.

Em 85% dos casos, os hóspedes afirmam que uma localização mais conveniente que a dos hotéis influi na sua decisão de usar a Airbnb e 69% deles afirmam que na sua decisão de usar a plataforma teve influência em quererem explorar um bairro em concreto.

O impacto económico directo estimado de 2018 pela plataforma é a soma das receitas obtidas pelos anfitriões e o gasto estimado dos hóspedes.As receitas dos anfitriões baseiam-se em dados internos da Airbnb.

Os gastos estimados dos hóspedes têm por base quase 12.000 respostas a um inquérito voluntário enviado a uma amostra de contas de hóspedes da Airbnb que fizeram uma viagem a esses países em 2018.

De acordo com os dados hoje revelados, "os anfitriões ficam com 97% do preço fixado por eles próprios ao partilhar o seu espaço e, desde que a Airbnb foi fundada, receberam mais de 57.000 milhões de euros em todo o mundo".

Texto: Sábado

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade